Rua Barão do Abiaí, 24, Centro, C. Grande/PB

Mais de 26 mil campinenses estão com o nome sujo no SPC

O índice que mede a inadimplência dos campinenses fechou o mês de abril com alta de 87%. No acumulado do ano a dívida dos consumidores cresceu 29% comparado ao mesmo período do ano passado.

Segundo o levantamento divulgado pela Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL Campina Grande com base nos dados apresentados pelo Sistema de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 1.937 campinenses adquiriram alguma dívida ao longo do último mês de abril. Esse número é 87% maior que o registrado no mesmo período de 2018, quando 1036 pessoas entraram para a lista de devedores.  O percentual de pessoas inadimplentes na cidade no acumulado do ano é de 5.019, dado 29% maior que o mesmo período de 2018, quando 3.886 consumidores perderam o crédito.

Dívidas chegam a 28 milhões

Atualmente, a lista de campinenses com alguma dívida inserida no cadastro do SPC Brasil chega 26.695. Juntos, todos esses consumidores devem R$ R$ 28.523.573 aos estabelecimentos instalados na cidade, gerando instabilidade na economia e provocando desaceleração.

Ticket Médio

Segundo o SPC Brasil, o valor médio devido por pessoa, é de R$1.317,35.

Varejo acredita em recuperação do crédito

Para o presidente da CDL, Artur Almeida, a expectativa é de que o processo de recuperação econômica se acelere nos próximos meses, impulsionado pela geração de empregos temporários que costumam ser ofertados para o período pré – São João. “O que faz o consumidor ficar em dia com suas contas é o emprego. Somente o emprego é capaz de mover a economia de forma satisfatória para toda a sociedade. Sempre que verificamos alta na geração de empregos é possível observar também a diminuição no número de inadimplentes”, acrescentou.

 

Deixe um comentário