Rua Barão do Abiaí, 24, Centro, C. Grande/PB

ZOURAIDE SILVEIRA – UMA MULHER À FRENTE DE SEU TEMPO -1994 a 2000

A força  e a garra da mulher sempre esteve presente na história da CDL e ajudaram a construir grandes e relevantes capítulos nestas cinco décadas. Zouraide Silveira é uma destas grandes mulheres: sua história pessoal já é um exemplo de coragem, visão e fibra. Ser mulher e empresária na época em que começou a se destacar como tal, já era um grande desafio. “Sempre estive à frente de meu tempo”, confessa. “Acho que em qualquer época, para ser mulher, é preciso sonhar e principalmente ter a coragem de realizar”.

Zouraide é natural de São Bento, cidade do sertão paraibano conhecida como a “capital mundial das redes” – um lugar que respira empreendedorismo. E foi esta característica que herdaram seus pais. “Meu pai era um homem de visão, trabalhador de olho no futuro. De humilde agricultor a empresário conhecido até no exterior, foi uma longa jornada, de muita luta. Cresci vendo este exemplo vivo de austeridade e força”, relata emocionada ao lembrar de seu grande ídolo.  Zouraide sempre acalentou o sonho de se tornar independente e traçar seu próprio destino. E para tal, enfrentou muitas barreiras e dificuldades. “Se hoje em dia já é difícil para uma mulher se firmar através de seus próprios méritos, imagine quatro, cinco décadas atrás. Eram tempos onde tínhamos que provar com muita luta nosso próprio valor”, conta. Foi trazendo no peito a convicção de que a mulher pode atuar com maestria em qualquer área, que Zouraide seguiu com os estudos, tendo se formado em Ciências Econômicas e Administração, além de diversos cursos de especialização voltados para a área do empreendedorismo. “Estava no sangue, não tinha como fugir. Herdei do meu pai a vontade de crescer, a coragem de seguir adiante em meio às dificuldades, superar crises e conquistar meu espaço”, defende Zouraide.

Os desafios nunca lhe faltaram. A perda dos pais foi decisiva para que uma nova fase se iniciasse em sua vida, lhe trazendo, em suas próprias palavras, grande amadurecimento. “A vida tinha que continuar, apesar do enorme vazio que a perda de meus pais deixou. Além das ocupações empresariais com os negócios da família e de minha loja, abracei o movimento lojista. Foi com um convite do ilustre e saudoso Noujaim Habib que comecei a integrar a diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Campina Grande. Durante oito anos fui vice-presidente até que assumi a presidência em 1994, me tornado a primeira mulher no cargo desde sua fundação, o que representa uma grande honra para mim, que sempre carreguei a bandeira de que a mulher pode e deve atuar em todas as áreas e ser bem sucedida”.

À frente da CDL, Zouraide enfrentou muitos desafios, que foram vencidos com coragem e determinação. “Muito do preconceito e da discriminação que sofri, por incrível que parece, vinha de outras mulheres. É cultural, é algo que está na sociedade, este hábito de achar que a mulher tem menos capacidades do que o homem. Algumas mulheres também aceitam esta posição e estranham quando veem outras mulheres em lugar de destaque.”, afirma.

O trabalho da primeira mulher presidente da CDL foi focado no olhar social, no papel ativo que a Câmara deve à sociedade – não apenas de dar suporte ao lojista, mas também modificar e melhorar os canais de comunicação da CDL com os demais âmbitos, incentivar a valorização do comércio pela população e também promover o reconhecimento da mulher empresária, seja em qualquer segmento.

Zouraide promoveu o comércio com promoções de incentivo às vendas, campanhas de prêmios, diversas e também ações de incentivo aos próprios lojistas como o concurso de vitrines no Natal e no São João, cursos de capacitação dente outros. Sempre ativa no segmento lojsita, esteve presente em vários eventos ligados ao setor lojista, dentro e fora do país, sendo muitas vezes a única mulher presente. “Acho que a mulher não pode ter medo, ela tem que lutar pelos seus sonhos. Essa concepção que a mulher nasceu para ficar em casa nunca me gerou identificação. A mulher pode e deve estar onde ela quiser, inclusive em casa, ela tem que fazer o que deseja seu coração. Se nosso sonho é voar alto, alcançar grandes conquistas, nada impede, por sermos mulheres, de conseguirmos. Meu pai sempre dizia: ‘quem tem a vontade, já tem a metade’. Foi isso que fiz a minha vida toda – lutar para conquistar a metade que faltava em cada um de meus sonhos.” Encerra.

 

Deixe um comentário

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.